Rir de nós próprios é o melhor remédio

Janeiro 10, 2017

Será que rir de nós próprios é o melhor remédio para encarar problemas e dificuldades? Quem nunca fez uma asneira, ou falou algo que não devia, no momento mais inoportuno e no final deu uma gargalhada?

Acredito que por vezes nos levemos demasiadamente a sério. As nossas opiniões parecem ter muitas vezes um tom profético de “verdade óbvia” que ninguém parece ainda ter visto, apesar de tão evidente. Se calhar lidamos mal com as falhas e imperfeições ou então temos alguns problemas em as assumir.

Das duas, uma: ou temos um enorme amor-próprio e uma autoestima inabalável, ou passamos parte do tempo a disfarçar o que efetivamente somos, porque não gostamos assim tanto do que somos ou pensamos.

Mas rir das nossas asneiras faz mesmo bem à saúde. Está provado que o bom humor desencadeia a libertação de uma série de químicos (serotonina e endorfinas) que provocam de imediato uma sensação de bem-estar.

E é tão bom conviver com gente simples, despretensiosa, que sabe deitar conversa fora, que sabe contar as suas falhas e acha graça. Aquelas pessoas que sabem que não são perfeitas, que riem das suas experiências boas e das más e que não têm vergonha de partilhar os seus medos e inseguranças. Conhecem alguém assim? Têm vontade de ficar sempre ao lado delas? Eu tenho! Porque pessoas assim dão cor ao dia.

Vamos lá fazer como a Maria e rir de nós próprios, das nossas trapalhadas, das nossas palhaçadas. Vamos espalhar sorrisos e contagiar os outros. Podemos não mudar o mundo com um sorriso, mas de certeza que mudamos a realidade das pessoas com que nos cruzarmos.

A mãe da Maria (Ana Rebelo)

Também Poderá Gostar

Sem comentários

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.