Viver é uma dádiva

Julho 31, 2017

É difícil começar esta reflexão sobre a vida, porque na verdade viver é uma dádiva. Viver é podermos escolher a nossa história, podermos construir a ponte que nos servirá de ligação à outra margem, ao outro mundo.

Viver é não conter a respiração é fazer das nossas palavras o nosso caminho. Viver não é só estar a marcar presença, é mudar o Mundo com um olhar ou um sorriso. Viver é um único suspiro, é dar importância aos pormenores do Mundo, é construir em pequenos passos uma grande história.

Na verdade todos temos a nossa história. Umas que correram mal para olhos de alguns, outras que são tal e qual contos de fadas, mas será sempre, apenas e só, a nossa história onde cada um de nós é o comandante.

Por vezes vamos sentir-nos à deriva, sem qualquer rumo, mas haverá sempre um farol que será a nossa estrela na escuridão e sempre que formos ao fundo haverá pelo menos um pequeno barco para nos salvar, ou não fosse dos pequenos que nascem os grandes.

Só nós, os comandantes, decidiremos o nosso norte. Só nós escolheremos se enfrentaremos a tempestade ou se esperamos que ela amaine. Nem todos nós descobrimos a Índia, mas a cada passo que damos estamos mais perto de nos descobrirmos.Só com a garra de um comandante iremos ultrapassar as grandes tempestades.

E foi com garra e determinação que o navio cá de casa não naufragou. Foi com esse olhar e esse sorriso que continuámos à descoberta do desconhecido. Não esperámos que a tempestade acabasse, seguimos em frente, enfrentámos tudo e todos e após um combate imenso com a escuridão e o terror saímos vitoriosos.

Agora cá estamos nós a navegar por boas ondas, umas maiores que outras mas sempre com a corrente como o nosso maior aliado… e assim vai continuar esta história inacabada, contada por uma ainda passageira desta grande embarcação, talvez um dia capitã!

A irmã da Maria (Matilde Rebelo Pires)

Também Poderá Gostar

2 Comentários

  • Responder Maria José Mota Campos Agosto 1, 2017 em 19:43

    Obrigada pelo teu texto Matilde, que li, reli e reli.
    É lindo e bem verdadeiro. Tu escreves muito bem.
    Sem dúvida que o teu “Titanic” não naufragou, porque além da garra e determinação, vocês são uns passageiros muito unidos e navegam todos para o mesmo lado sempre dentro do mesmo navio e com comandantes *****.
    É isso Matilde, sê muito feliz e sai sempre vitoriosa em tudo o que na tua vida te propuseres fazer.
    Tu consegues. FELICIDADES

    • Responder Ana Rebelo Agosto 1, 2017 em 21:13

      <3

    Deixar Comentário

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.