Sou fã das voltas que o mundo dá

Janeiro 26, 2017

“Das habilidades que o mundo sabe, essa ainda é a que ele faz melhor: dar voltas”. Levei tempo a entender esta frase de José Saramago, mas se há uma coisa de que hoje sou fã é das voltas que o mundo dá.

Sou fã porque é bom ver que entre uma curva e outra há sempre algo que se perde ou se acha. Sou fã porque nesta trajetória louca da vida, existe também aquela linha reta sem fim definido que, sem mais nem menos, nos apresenta algo que nos reinventa, reencanta (ou desencanta), fazendo-nos ver que a vida não precisa de seguir o que inicialmente tínhamos traçado.

Sou fã das voltas que o mundo dá, porque foi numa delas que aprendi que o conformismo é um vício e que não nos devemos agarrar a ele.

Mas o que gosto mesmo é das voltas que fecham ciclos. Só quem já percorreu um longo caminho e teve a sensação de dever cumprido, sabe do que estou a falar. O troféu é entregue na hora que despretensiosamente olhamos para trás e temos aquela sensação boa, de rir daquilo que um dia nos fez chorar, percebendo o quão bom foi o tempo e o amadurecimento para a nossa evolução.

Existem também aquelas voltas que deixam ciclos abertos. Essas assumo que não brilham tanto aos meus olhos, mas sei o quanto aquieta o coração perceber que nunca é tarde para recomeçar ou para ver de uma forma diferente aquilo que um dia não nos fez bem.

Sou fã das voltas que o mundo dá, porque foi numa delas que percebi que não dá para disfarçar pois a vida pede urgência. E é incrível ver o quanto ela nos consegue surpreender, com a forma maravilhosa em como as coisas certas se tendem a encaixar. Venham mais voltas!

A mãe da Maria (Ana Rebelo)

Também Poderá Gostar

Sem comentários

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.