Recebemos o que damos, será?

Agosto 8, 2015

Aqui sentada a assistir à conversa dos meus filhos, salta-me à vista o comportamento da Maria. Não sei se entende tudo o que os irmãos dizem, mas está sempre muito atenta e com um sorriso na cara. A conversa vai evoluindo e nunca faltam temas ou argumentos.

A Matilde e o Tomás pelo meio vão rindo, gozando (um com o outro) e claro inevitavelmente discutindo. Cada vez que um é mais agressivo (em palavras), o outro responde na mesma moeda. Hoje não vou interferir, vou só ficar a observar para ver como evolui esta conversa.

A Maria vê que a Matilde já se está a enervar com o Tomás, vem para perto dela e começa a fazer-lhe festinhas no cabelo. Nesse preciso momento a Matilde faz uma pausa na discussão, olha para a Maria sorri e acalma. O Tomás responde em tom mais duro e a Maria olha para ele e diz um grande ‘Olá’. Com um ‘Olá’ assim o Tomás desliga e brinca com a Maria. Quando responde à Matilde já o faz de forma calma. E assim continua por mais de meia hora. Sempre que um dos manos se enerva, a Maria intervém e mesmo quase sem falar a Maria modera a conversa dos três, como uma “pró” de comunicação.

A Maria não tem agressividade, responde sempre com carinho e boa disposição o que faz com que os outros lhe respondam da mesma forma. Leva-me isto a crer que tudo aquilo que nós recebemos depende única e exclusivamente daquilo que damos.

Se temos agressividade para dar, vamos receber de volta! Se temos maldade para dar, vamos receber o mesmo. Se tivermos carinho e boa disposição para dar, será  isso que nos será devolvido. Ou seja recebemos o que damos, será? Com a Maria tenho a certeza que é assim, dá o que é e recebe o que dá!!

A mãe da Maria (Ana Rebelo)

Também Poderá Gostar

Sem comentários

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.