Precisamos de parar

Dezembro 1, 2016

Depois de uns meses verdadeiramente alucinantes, quase sem férias e paragens, o cansaço está a instalar-se em mim. Sinto aquela força inata (que nunca soube de onde vem) a esvair-se e não a estou a recuperar diáriamente tal como sempre aconteceu.

Este estado põem-me em modo dormente. A cabeça está sempre a pensar e de tão acelarada, já não tem o raciocinio rápido nem a mesma destreza para resolver todos os desafios que vão aparecendo no dia-a-dia.

Às vezes esquecemo-nos que somos humanos e temos de parar. Não somos máquinas que se movimentam a combustível, precisamos de muito mais. Precisamos de parar para aprender a viver e seguir em frente sem ser apenas em modo automático e de sobrevivência.

Neste momento sinto que preciso de parar uns dias para estar com os meus filhos, para estar comigo própria. Para olhar para a minha vida do lado de fora e conseguir que ela continue a fluir cheia de energia. Resumindo e concluindo: preciso de férias urgentemente.

Como a Maria me ensinou há que seguir sempre em frente, não em esforço, mas FELIZ!

A mãe da Maria (Ana Rebelo)

Também Poderá Gostar

Sem comentários

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.