O poder nocivo dos manipuladores

Junho 10, 2018
FullSizeRender-17

Os adolescentes são muito ativos e atentos e num determinado momento, num clique, começam a ter consciência do que está bem e está mal. Na 6ª feira a conversa entre a Matilde e o Tomás era sobre o que era ser manipulador e ser manipulado. Deixei-os falar sem intervir e eles lá tiraram as suas conclusões. Achei que seria um bom tema para desenvolver aqui.

Os manipuladores são pessoas que ninguém, em plena consciência, gosta de ter por perto. Mas, infelizmente existem. Estão por aí, em quase todos os grupos sociais que conhecemos. Boa parte deles, disfarçados de simpáticos, prestativos, parceiros ou colegas. Conseguem forjar empatia. Aparentemente, podem parecer confiáveis. Podem também,  passar por amigos. Mas, não se enganem, de perto, os manipuladores são bem diferentes.

São invejosos e mesquinhos. Mas são também inseguros. E talvez essa insegurança, explique (mas não justifique) esse desejo de prejudicar o outro em benefício próprio. Quem já teve que conviver de alguma forma, ou por algum motivo, com uma pessoa manipuladora, sabe como essa convivência pode tornar a vida difícil.

Os manipuladores vivem empenhados em distorcer verdades – em benefício próprio, claro. Também são mestres em farejar e identificar pessoas que possam ajudá-los a alcançar objetivos.

COLOCAM TODAS AS SUAS ENERGIAS E AÇÕES, EM INTRIGAS, MENTIRAS, E MUITAS VEZES, CALÚNIA E DIFAMAÇÃO.

O que eles se esquecem – apesar de alguns serem inteligentes (não todos) – é que é impossível manter uma “máscara” ou um “personagem” durante muito tempo. É humanamente impossível travestir-se de bom, quando o que se esconde por baixo da pele de cordeiro nada mais é do que o lobo. Mais cedo ou mais tarde, o lado mau é revelado e, não há como fugir. O castelo, construído sobre o terreno pantanoso, desmorona. É a infalível Lei do retorno!

A mãe da Maria (Ana Rebelo)

Também Poderá Gostar

Sem comentários

Deixar Comentário