Num mundo de julgamentos

Agosto 13, 2018

Num mundo de julgamentos, as mães de crianças com deficiência estão sempre debaixo dos holofotes da sociedade. Quando não sabemos explicar (ou não entendemos) uma situação, temos a necessidade de criar histórias, para explicarmos a nós próprios aquilo que a razão não nos dá resposta.

As perguntas e afirmações são muitas e as mães calejadas já as ignoram. Mas existem as outras mães, que muitas vezes me contactam em desespero pelas barbaridades que vão ouvindo no seu dia a dia. Ora leiam aqui alguns exemplos:

  • Mas a mãe ainda chora? Olhe que isso deve ser falta de aceitção!
  • Não chora? Então ou está em negação, ou ainda não caiu em si.
  • A sua filha tem 18 anos e ainda é assim? Tem a certeza que tentou tudo?
  • Não quer pesquisar mais sobre a possibilidade de cura? Egoísta! Só pensa em si e não na sua filha.
  • Só pensa em cura? Egoísta!
  • Desespera com as férias escolares? Os pais também têm que ficar com os filhos de vez em quando, não?!
  • Tem certeza que a está a estimular o suficiente?
  • Cansada? Tome um Red Bull!
  • Vida social? Como mãe de uma criança deficiente devia era focar-se mais na sua filha.
  • Frustrada? A deficiência é uma bênção! Seja grata!
  • Quer viajar sem a sua filha? Precisa de respirar? Faça uma auto análise porque isso não é bom sinal!
  • Deprimida? Você é especial, Deus escolheu-a para uma missão, não tem razão para deprimir!

Ah, se as pessoas soubessem como é fácil falar! Se percebessem que o simples exercício de se colocar no lugar do outro faria toda a diferença!

Falar é fácil. Dar pancadinhas nas costas ainda mais. Oferecer soluções também é fácil. Mas ser mãe de uma criança com deficiência é DIFÍCIL! Se houvesse menos julgamentos e mais mãos estendidas, esta realidade poderia ser tão diferente.

Se uma mãe ama o seu filho, ela fará sempre o melhor que pode, mesmo que esse melhor não lhe pareça o suficiente.

Entender que só conhece uma situação, quem vive dentro dela é muito importante…mas isto parece uma missão impossível para muita gente!

A mãe da Maria (Ana Rebelo)

Também Poderá Gostar

6 Comentários

  • Responder Crisante Agosto 14, 2018 em 15:04

    boa-tarde!

    escrevi um comentário a este ´post`,que me saiu das vísceras por tão verdadeiro e sentido. foi apgado, ou seja censurado… É PENA!
    cris

    • Responder Ana Rebelo Agosto 14, 2018 em 21:16

      Olá Crisante. Não houve nenhum comentário apagado…aqui não há censura. 😉
      Beijinhos

  • Responder Crisante Agosto 15, 2018 em 00:15

    OK ANA REBELO!

    O que é certo é que aquando pretendi enviar o comentário de desagrado, (comentário acima), de imediato houve um ´reply` comunicando que este meu comentário estava a repertir-se,ou seja já tinha sido enviado…. algo não está bem… e esta pessoa , (eu própria- nunca mais tem juízo, com recorrências de opinião pessoal sobre questões que conhece bem, porque está no terreno… Repito, é Pena que um texto relevante para o assunto em questão, que tanto gostei de escrever (no copy) tenha sido engolido pela Internet!

    • Responder Ana Agosto 15, 2018 em 14:02

      Olá Crisante, pois não sabemos o que terá acontecido…não recebemos nenhum alerta no blog, nem apagámos nenhum comentário. Beijinhos

  • Responder Crisante Agosto 19, 2018 em 20:38

    OK ANA : BOAS FÈRIAS!

    • Responder Ana Rebelo Agosto 21, 2018 em 21:35

      Obrigada Crisante. Beijinhos 😉

    Deixar Comentário

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.