Morre lentamente – Martha Medeiros

Fevereiro 14, 2017

“Morre lentamente quem não viaja, quem não lê,

quem não ouve música,

quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio,

quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito,

repetindo todos os dias os mesmos trajetos,

quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor

ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão,

quem prefere o negro sobre o branco

e os pontos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções

justamente as que resgatam o brilho dos olhos,

sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz,

quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho,

quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem passa os dias a queixar-se da sua má sorte ou da chuva incessante.

Morre lentamente quem abandona um projeto antes de iniciá-lo,

não pergunta sobre um assunto que desconhece

ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Morre lentamente…”

Martha Medeiros

Também Poderá Gostar

3 Comentários

  • Responder Maria José Mota Campos Fevereiro 15, 2017 em 17:01

    Depois de lermos o texto maravilhoso escrito pela Mãe da Maria , tenho a certeza que temos algo a repensar.
    A vida é justamente essa mágica, ela permite-nos reescrever o que não está bom e recomeçar o tempo inteiro.
    Permita-se mudar, mude o seu futuro e não importa quantos anos tenha.
    A sua história de vida não acabou. Existe alguém que te ama, que te tem como referência. Como sonho.
    O que a vida espera é que tenhamos a coragem não para morrer, mas para viver grandiosamente.
    Como diz “Martha Medeiros”:
    Viva hoje!
    Arrisque hoje!
    Faça hoje !
    Não se deixe morrer lentamente!
    NÃO SE ESQUEÇA DE SER FELIZ

  • Responder Silvia Cerejeira Fevereiro 16, 2017 em 21:02

    Querida Ana, é tão real que até arrepia. Obrigada por nos relembrar desta morte lenta.

  • Responder Maria Melissa Março 6, 2019 em 11:18

    Olá , só queria ɗizer, eu desfrutado іsto post .
    Foі prático . Continue postando lá!

  • Deixar Comentário

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.