Férias, praia e mãe de “trabalhos forçados”?

Agosto 7, 2015

Esta semana o pai voltou a Lisboa para trabalhar (mais uns dias) e nós os quatro ficámos por cá na praia. Estou então em modo mãe de “trabalhos forçados”. E não é que eu gosto?

A Matilde e o Tomás já ajudam imenso. O Tomás sempre que o pai está fora, assume o papel de homem da casa e não sai de perto de mim. Tenta fazer as tarefas diárias que o pai costuma assegurar cá por casa, resultado fica estafado. A Matilde também ajuda, mas tem 10 anos é muito descontraída e distrai-se muito facilmente com aquilo que mais lhe agrada, que não são com toda a certeza as tarefas domésticas. A Maria não executa nenhuma tarefa, mas tem uma das funções mais importantes, brinda-nos com a sua boa disposição e as suas saídas geniais de quem está a controlar o trabalho dos outros e sabe muito bem do que fala. Pelo meio ainda tem tempo para ir perguntando – O pai? Respondemos sempre – Maria o pai está em Lisboa! Ela ri-se encolhe os ombros e diz – A trabalhar!

Não tenho razão de queixa, acho mesmo que eles têm a preocupação de se portarem melhor quando o pai não está. Mas não nos podemos esquecer que são miúdos e são três. Carrego a Maria ao colo, carrego sacos, faço almoços, lanches, máquinas da roupa, estendo roupa, arrumo, corro de um lado para o outro para conseguirmos sair de casa a tempo de “fazer” praia. Mas mesmo cansada e já cheia de sono – pois costumo dizer que quando o pai não está eu não durmo, só descanso – não há nada melhor do que os ter debaixo das minhas asas. Só de observar a alegria deles por estarem de férias e na praia, recarrego as baterias da felicidade que são mesmo as mais importantes, aquelas que fazem com que tudo o resto corra bem. Venham mais “trabalhos forçados” destes!

Pel´A Mãe da Maria

Também Poderá Gostar

Sem comentários

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.