Do “alto” da sua cadeira de praia

Agosto 12, 2015

Ali está a Maria sentada a observar tudo o que se passa na praia. Do “alto” da sua cadeira, com uma pose de princesa do “areal” olha para cada movimento, cada cumprimento, cada palavra de quem a rodeia. Enrolada na toalha, numa tarde que ficou fresca, parece que nada a incomoda, está tão calma. Nós estamos todos a refilar com o São Pedro pela falta de sol, pelo vento fresco que se levantou, a relembrar finais de tarde quentes que nada têm a ver com o de hoje. Mas a Maria não, ela está ali apenas a desfrutar o momento.

Hoje resolvi sentar-me longe, só quero observar para tentar compreender um pouco mais. Gostava eu de adivinhar os seus pensamentos, podia ser que conseguisse aprender esta fórmula mágica de serenidade constante ou ainda aquilo que mais me espanta – a auto estima na medida certa, que junta a uma humildade única e que termina sempre com um enorme sorriso. 

Lá vai um desconhecido a passar que nela fixou o olhar. Mais uma vez não se intimidou, encarou e sorriu. O senhor mantém um olhar sério e ela aborda-o com o seu característico ‘olá’, sem baixar a cara, nem nunca deixar de enfrentar. E recebe um “olá” de volta. Já ganhou!

Continua alerta a observar tudo. Guarda a imitação dos gestos como uma estratégia para iniciar outra possível interação, ou uma conquista sem ter de dizer uma palavra! Imita a Tia fingindo pentear o cabelo. A Tia olha para ela e mais uma vez ganhou! Desta feita foi a atenção acompanhada de um enorme abraço!

Aposto que os seus maiores desafios são mesmo estas atenções “roubadas”. Enquanto não a puxa para si, não desiste. No momento em que finalmente consegue “sacar” o olhar, a palavra, ou a interação, os seus olhos iluminam-se ao jeito de quem acabou de vencer a medalha de ouro do grande desafio da atenção. A Maria é assim, desafia!

Pel´A Mãe da Maria

Também Poderá Gostar

Sem comentários

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.