Dias difíceis são altamente democráticos

Janeiro 27, 2018

Dias difíceis não são um privilégio de uns ou de outros. Dias difíceis são altamente democráticos; atingem os fortes, os fracos, os crentes, os céticos, os empedernidos e até (pasmem!), os apaixonados. Há dias em que temos a clara sensação de termos passado por uma “máquina desorganizadora da vida”, enquanto inocentemente dormíamos. Nesses dias, acordar é um desafio à coragem. A cama parece ter uma espécie de atração fatal sobre a nossa pessoa. Ao abrir os olhos, ficamos tentados a fechá-los novamente por tempo indeterminado. Mas, o que nunca podemos perder de vista é que os dias difíceis (por mais insanos que sejam), assim como os dias maravilhosos e inesquecíveis, duram as mesmíssimas 24 horas. Vai o minuto em que ele vai acabar!

Fazemos parte de uma parcela histórica da humanidade que vê o mundo transformar-se a cada minuto. Caso sejamos distraídos demais, corremos o risco de perder a capacidade de entender o processo. Tudo é muito rápido, muito abrangente, muito impactante e acontece ao mesmo tempo. Por outro lado, é tanta informação a expor-nos como alvo que, caso tomemos a perigosa decisão de nos mantermos atentos a tudo, corremos risco de enlouquecer.

Mas o que precisamos mesmo é de dedicar atenção a nós próprios. De assumir o risco de nos vermos sem máscara social. Precisamos daquela capacidade perdida de entender que os joelhos esfolados não duram para sempre; que ter medo é um direito humano; que, caso venhamos a falhar, temos o dever de procurar aprender. Por tudo isto, digo “há dias em que precisamos de nos carregar ao colo”, para irmos curando as dores de viver. E, assim, ao reaprendermos a amarmo-nos, apesar da imperfeição, tornamo-nos aptos a abrir os braços aos outros que, na mesma medida cresceram a acreditar que precisar de colo é sinônimo de fraqueza, quando fraqueza é não ser capaz de o dar!

Fonte asomadetodososafectos.com | Adaptação do texto “Tem dias que a gente precisa se carregar ao colo”

Também Poderá Gostar

1 Comentário

  • Responder Dias difíceis são altamente democráticos - Baby Blogs Portugal Janeiro 28, 2018 em 01:18

    […] Dias difíceis não são um privilégio de uns ou de outros. Dias difíceis são altamente democráticos; atingem os fortes, os fracos, os crentes, os céticos, os empedernidos e até (pasmem!), os apaixonados. Há dias em que temos a clara sensação de termos passado por uma “máquina desorganizadora da vida”, enquanto inocentemente dormíamos. Nesses dias, acordar é um desafio à coragem. A cama parece ter uma espécie de atração fatal sobre a nossa pessoa. Ao abrir os olhos, ficamos tentados a fechá-los novamente por tempo indeterminado. Mas, o que nunca podemos perder de vista é que os dias difíceis (por mais … Ver artigo completo no Blog […]

  • Deixar Comentário

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.