Com carinho e atenção os medos morrerão à fome

Fevereiro 12, 2017

As nossas primeiras experiências no mundo marcam o início do desenvolvimento emocional. Na infância constrói-se uma rede que conectará a mente e o corpo e que determinará em grande parte a nossa capacidade de sentir e de amar no futuro.

O nosso crescimento emocional dependerá dos primeiros intercâmbios emocionais, que nos ensinarão o que ver e o que não ver no mundo emocional e social em que nos encontramos.

O campo da infância permite semear o amor de maneira natural, o que determinará que a capacidade de amar e de sermos amados cresça de maneira saudável. Como Stanisla Bachrach diz: “Somos seres emocionais que aprendem a pensar, não máquinas pensantes que aprendem a sentir”

As demonstrações de afeto elevam a autoestima das crianças ajudando-as a construir uma personalidade emocionalmente adaptada e inteligente. O nosso carinho e atenção dá-lhes asas para lidar com os medos naturais que surgem nas diferentes idades, fomentando um grau de sensibilidade saudável.

As crianças têm em si uma confiança natural. É surpreendente que frente a desvantagens insuperáveis e fracassos repetidos elas não desistam. A persistência, o otimismo, a automotivação e o entusiasmo são qualidades inatas.

Percebermos isto, ajuda-nos a ter uma maior consciência do quão é importante amarmos nossos filhos e educá-los com respeito, empatia, expressão e compreensão dos sentimentos, controle da impaciência, capacidade de adaptação e independência.

Se alimentarmos as crianças com carinho e atenção, os medos morrerão de fome!

Fonte revistapazes.com |Adaptação de excerto do texto As crianças amadas..

Também Poderá Gostar

Sem comentários

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.