Com afeto e sem medos

Setembro 22, 2016

Muitos pais têm terror de fracassar nos seus papéis. Acreditam que pode ser uma tragédia não dar aos filhos a melhor festa de anos, não encontrar vagas na melhor escola da cidade, ou não poder comprar “isto ou aquilo”. Acredito que tentam, de algum modo, oferecer aos filhos aquilo que eles próprios acreditam que lhes fez falta.

É claro que somos livres de escolher como educar os filhos, mas muitas vezes esquecemo-nos como são as crianças e de tudo o que acontece no seu interior.

Ficamos obstinamos a pensar em tudo o que lhes devemos oferecer, sem pensar primeiro o que eles realmente precisam: de nós mesmos.

• Uma criança não é um adulto em miniatura, é uma pessoa que precisa de entender o mundo através de nós e com a nossa ajuda.

• Uma criança age sempre por necessidade e não por manipulação ou malícia. Temos de ser intuitivos para entender todas estas suas demandas.

• Uma criança deve, acima de tudo, ser tratada com afeto.

Os nossos filhos não precisam de roupas de marca ou de jogos eletrônicos para brincarem sozinhos. Eles precisam do nosso tempo, do nosso exemplo, dos nossos abraços e da nossa mão para os segurar sempre que precisarem. Precisam apenas de afeto sem medos!

A mãe da Maria (Ana Rebelo)

Também Poderá Gostar

Sem comentários

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.