Campanha Ativar a Inclusão

Junho 12, 2015
https://www.youtube.com/watch?v=XrI1EBxcGN0

Campanha ativar a inclusão!

Mesmo diferentes, somos todos iguais! As crianças sabem bem isso, nós é que ainda não aprendemos. Inclusão, mais do que aceitar, aprender…

 

 

Também Poderá Gostar

26 Comentários

  • Responder Joana Barroso Junho 17, 2015 em 20:23

    Maria,
    Tenho saudades tuas!
    Foi um privilégio fazer parte do teu dia-a-dia. Receber todas as manhãs o teu abraço…”Ai tão bom!!” Que bom que era! Melhor, ouvir-te chamar o meu nome pelo corredor e ou vir o Pai Jorge dizer: “Pronto, vá lá à Joana!”
    Estar contigo em contexto de sala, num dia-a-dia cheio de atividades, tarefas e horários a cumprir foi uma aventura! Digo isto porque apesar de cansada, com vontade de ir para casa, bastava olhar para ti e ver esse sorriso, essas gargalhas e essas expressões tão meigas que percebia que valia apena aqueles sintomas todos!
    Foste tu quem me ensinou a sorrir após cada “ralhete” que dava aos meninos, que não valia apena estar zangada, pois era assim que passavas os dias a meu lado. A sorrir! Tu ensinas qualquer adulto a lutar, a persistir e, melhor, a viver um dia de cada vez! Vamos viver o dia de hoje e o amanhã, bom, pensamos nisso amanhã!
    Minha princesa,
    “I Love You!”
    Um grande beijinho da tua Joana

    • Responder Ana Rebelo Junho 22, 2015 em 18:14

      Olá Joana,
      Que bom foi ler o seu testemunho. Respondo-lhe, neste minuto, com a Maria sentada ao meu lado. Acabei de lhe mostrar a sua fotografia e ela fez um sorriso de orelha a orelha! Sei que o tempo que passou a seu lado, foi o inicio de uma grande amizade, que continuará…e espero que em breve nos cruzemos para matar saudades. Pelo menos por aqui, vamos matando saudades. Obrigada e um beijinho especial da Maria. Até Já

  • Responder Carminia Junho 17, 2015 em 21:57

    Quero felicitar a Mãe da Maria, pelo seu trabalho, e em especial à Maria pela sua força de viver! Foi um grande ensinamento para as pessoas em geral, estas doenças raras não são conhecidas, e por vezes a inclusão é difícil, bem haja também aos padrinhos…

    • Responder Ana Rebelo Junho 23, 2015 em 11:49

      Obrigada Carminia pelo sua mensagem. A Maria é realmente uma força da natureza. Um grande beijinho e até já.

  • Responder ana Gaspar Junho 18, 2015 em 10:33

    Cá em casa foi um privilégio termo-nos cruzado com a Maria… Temos cá em casa outra Maria cujo nome foi escolhido pela mana (amiga de sala da Maria), que um dia me perguntou, ainda durante a gravidez, “mamã, a mana pode chamar-se Maria Pires?”… Há pessoas que são mesmo muito especiais…

    • Responder Ana Rebelo Junho 23, 2015 em 11:51

      Olá Ana,
      Que giro, não sabia dessa história maravilhosa, vou guardar na memória, pois é realmente a prova de uma grande amizade e ternura. Um grande beijinho

  • Responder Natalina Silva Junho 18, 2015 em 20:10

    Olá mãe da Maria eu sou mãe da Francisca e acho que somos muito parecidas em muitas coisas em primeiro como encaramos a situação pelo lado positivo por mais difícil que pareça e isso é muito bom porque tudo se resolve mais fácil e depois o amor que lhe damos e o que recebemos que é muito mais gratificante dum enorme conforto indiscritível que enche a alma e falamos a mesma ” linguagem” eu sou mãe da Francisca e do Rui e menina tem 4 anos e um síndrome polimalformativo em estudo e já passei por várias situações com ela como 5 meses internada após o nascimento e várias cirurgias e ainda ando em várias terapias .Por isso quero lhe dar os PARABENS e dar a conhecer o seu testemunho que é de todos nós e só com insistência e determinação que conseguimos fazer ver á sociedade que os nossos filhos são o que de melhor há no mundo e são cidadãos. Tendo a família unida e com muito amor fazemos milagres vamos continuar a comunicar .Muitos beijinhos pros seus meninos em especial á princesa MARIA e para a grande MÃE.
    E para todas as mães nesta situação não se isolem e conversem sobre o assunto com mães na mesma situação.

    • Responder Ana Rebelo Junho 23, 2015 em 15:16

      Olá Natalina,
      Que bom foi ler o seu comentário. Parabéns a si por partilhar connosco a sua história. Ficámos cheios de curiosidade de saber mais sobre a vós…vamos com toda a certeza continuar a comunicar. Um grande beijinho. Até já!

  • Responder Alexandra Cardoso Junho 18, 2015 em 21:43

    Comecei a conhecer a Maria, quando nos encontrávamos pela manhã, junto aos bengaleiros no hall do Colégio e o meu filho Rafael fazia questão de lhe dar a mão, para juntos percorrem o corredor até à sala. O sorriso de felicidade de ambas as crianças deixava o meu coração cheio! Desde o primeiro momento que assisti, percebi que entre eles existia uma amizade e cumplicidade pura. A capacidade de interação das crianças é fantástica, porque mesmo diferentes são iguais!

    • Responder Ana Rebelo Junho 23, 2015 em 15:11

      Olá Alexandra,
      Mãe do fantástico Rafael! A amizade entre o Rafael e a Maria é mesmo um exemplo de ternura e cumplicidade. Todos os dias o Rafael corria feliz para dar a mão à Maria… e logo que o conseguia seguiam em direção à sala com o ar mais feliz do mundo. Há momentos, que são indescritíveis e que ao assistirmos nos dizem tudo. Um grande beijinho da Maria para o Rafael e para a mãe Alexandra. Até já!

  • Responder Etelvina Arsénio Junho 19, 2015 em 00:12

    Maria
    Como estou feliz por te rever, tenho imensas saudades.
    Conhecemo-nos há 11 ou 12 anos, és uma menina muito especial, com imensa força, luz e alegria de viver,.
    Foi assim que te conheci, e partilhei contigo muitos momentos e alguns anos da tua vida, aprendizagem e desenvolvimento, os jogos, as nossas emoções e conversas que partilhei contigo quando te prestava os cuidados necessários para o teu bem estar, ouvir as tuas palavras, o teu riso.
    Ver-te começar a andar foi uma felicidade imensa
    Foste o meu Sol em muitos dias de chuva na minha vida e no meu coração.
    Eras a alegria da nossa escola, todos/as te adorava-mos. De certeza que vais ter muitos/as amigos/as desse tempo a visitar-te neste cantinho.
    Para a Mãe da Maria e seus irmãos, um grande Xi-Coração da VINA.
    Obrigado Maria por me teres permitido fazer parte dos teus dias

    • Responder Ana Rebelo Junho 23, 2015 em 14:53

      Um grande beijinho da Maria para si Vina…. Até já

  • Responder Patico Junho 19, 2015 em 13:57

    Muitos parabéns por tudo! Beijinhos. Na minha casa visitamos o blogue e o apreendemos o carinho e a mensagem.

    • Responder Ana Rebelo Junho 23, 2015 em 15:04

      Olá Patico,
      Ficamos muito felizes pela vossa visita e por terem gostado da mensagem :). Continuaremos por aqui…um grande beijinho e até já!

  • Responder conceicao Junho 19, 2015 em 14:14

    Eu nao conheço esta Maria! Mas tenho pena! Pelo que li nos comentarios é uma menina muito querida, e que transmite boas energias a quem convive com ela! Trabalhei muitos anos com crianças e nao há coisa melhor. Um grande beijinho e pode ser que um dia a gente se conheça! Que Deus te ajude a ti e a todas as outras crianças,

    • Responder Ana Rebelo Junho 23, 2015 em 15:02

      Olá Conceição,
      Obrigada pelo seu comentário. A Maria é realmente uma menina muito querida. Ainda não nos conhecemos, mas quem sabe um dia nos cruzamos…e se isso acontecer, por favor venha ter connosco. Um beijinho

  • Responder Ana Maria Linha Junho 19, 2015 em 16:20

    Infelizmente, há uns mais “iguais” que outros. Mas, felizmente, as Marias marcam a diferença! E ainda bem que assim é.

    • Responder Ana Rebelo Junho 23, 2015 em 14:51

      Olá Ana Maria,
      Pois é isso mesmo, há as Marias que marcam a diferença. Todos diferentes, todos iguais. Um grande beijinho

  • Responder Paula Pinto Junho 20, 2015 em 12:20

    Vi e conheci um pouco a Maria na tv, dá vontade de lhe dar um grande abraço, pois são crianças como ela que nos ensinam a viver, é LINDA, um doce!
    Um grande beijo para a Maria de uma desconhecida que que ficou grande fã desta força da Natureza!!

    • Responder Ana Rebelo Junho 23, 2015 em 11:08

      Olá Paula,
      Ficámos muito felizes com o seu comentário. A Maria é realmente um doce. Um grande beijinho e até já

  • Responder Henrique Vaz Antunes Junho 20, 2015 em 13:15

    Olá Maria, eu sou o Henrique!
    Tenho 3 anos, sou muito alegre e mexido e adoro brincar.
    Os meus coleguinhas na escola protegem-me muito porque eu ainda não sei comunicar e são eles que dizem á professora se algo acontece que me deixa chateado, felizmente quase sempre estou bem disposto e pronto para a brincadeira.
    As pessoas na rua não se apercebem do meu autismo porque aparentemente sou um menino como a maioria, mas sou muito sensivel aos ruidos muito altos, a multidões e outras coisas que ainda não consegui explicar.
    Só há poucas semanas comecei a fazer frases, mas muitas vezes não me consigo exprimir e as pessoas não me entendem. Mas o que eu gostaria é de poder brincar muito com os outros meninos, e é algo que ainda estou a aprender a fazer. Muitas vezes mordo ou belisco, mas apenas porque ainda não sei dizer que estou contente ou aborrecido. As minhas professoras e a mama estão a fazer de tudo para eu poder aprender a interagir. E como eu tenho muita vontade, eu sei que logo logo já brinco com os meus coleguinhas em vez de brincar sozinho.
    Espero um dia poder brincar contigo também.
    Um beijinho grande e lambuzado para ti Maria. Eu também adoro dar abraços.
    Henrique

    • Responder Ana Rebelo Junho 23, 2015 em 11:06

      Olá Henrique,
      Com esta mensagem ficámos cheios de vontade de te conhecer…um dia com certeza vamo-nos cruzar e ter a oportunidade de brincarmos todos juntos e dar aquele abraço. Vamos falando. Um grande beijinho e até já!

  • Responder Ana Paula Prata Junho 24, 2015 em 14:30

    Olá Mimi,

    Continuas Girissimaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa…..!
    Fiquei super contente por rever a Princesa Maria.
    Eu tenho-te há muitos anos e sempre no meu coração.
    Guardo com muito carinho, os teus beijinhos, o teu abraço muito apertadinho, as tuas festinhas, o teu sorriso, as tuas primeiras frases, os teus primeiros passos, a tua coragem e lição de vida que a todos nos deste.
    Tive o privilégio de te ter conhecido e privado momentos da tua vida fantásticos , a tua força e alegria de viver.
    És realmente uma menina muito querida, doce, com uma sensibilidade e uma ternura muito especiais.
    Para ti, para a MÃE da MARIA, pai e manos um grande beijinho

    Paula Prata

    • Responder Ana Rebelo Junho 24, 2015 em 16:42

      Olá Paula Prata, que bom “lê-la” por aqui. Temos que nos rever, para mais uns abraços e por-mos a conversa em dia. Obrigada pelo seu comentário especial. Um grande beijinho, um abraço apertado da Maria e vamos estando em contato. Até já!

  • Responder Iris Afonso Pais Junho 26, 2015 em 11:34

    Olá a todos.
    O meu nome é Iris e sou professora do 1 º Ciclo.
    Não conheço a Maria e os pais, mas gostava de partilhar convosco um testemunho sobre a inclusão.
    Na «minha sala» de 1 º ano, tive este ano, não «Uma Maria, mas antes «Um Dinis».
    Penso que eu e os restantes amiguinhos ganhamos verdadeiramente com o nosso amigo Dinis, tal como os amiguinhos têm ganho com a sua amiga Maria.
    O nosso Dinis estava diagnosticado com Espetro de Autismo que, ao que parece, afinal se trata antes de uma das suas variáveis, Síndrome de Asperger.
    O Dinis tem os mesmos amigos desde os 3 anos de idade e isso tem sido uma das suas maiores conquistas!
    As crianças têm um poder de inclusão verdadeiro e daqueles que realmente funcionam e nos surpreendem a nós, enquanto adultos.
    O nosso Dinis foi sempre acarinhado por toda a escola, desde a dúzia de professores, à dezena de assistentes operacionais, passando pelas duas centenas e meia de crianças da nossa escola.
    Em particular, claro que a inclusão partiu dos seus colegas de sala. Foi essa inclusão que permitiu que os restantes elementos também o incluíssem.
    Não foi fácil trabalhar com ele, não nego…
    Não vou dizer que não andei muitas vezes quase, passe a expressão, «a bater com a cabeça nas paredes»…
    Não invento que ele adquiriu academicamente o mesmo e os mesmo ritmo que os outros…
    No entanto, tenho a certeza que ele me enriqueceu enquanto professora, mulher e mãe!
    Não nego que aprendi muito com o Dinis, com a mãe Sara e com o pai Pedro!
    Muitas vezes, quando estava em ponto de rutura, havia uma frase que, como crente que sou, penso que Deus fazia ecoar no meu íntimo: «-E se fosse teu filho, o que farias?».
    Quando essa frase soava em mim, eu tentava fazer o que faria se ele fosse meu filho.
    Como mãe, também ralho, também imponho regras, também discuto… Mas no fim, o meu filho sabe que tudo o que faço é por Amor! Foi assim que tentei ser com o meu amigo Dinis! tentei fazer tudo por amor e pensar nele como se ele fosse realmente meu filho!
    Desculpem estar a maçar-vos com estas palavras, mas achei que iam ao encontro do que tem sido a vossa Maria na sua vida escolar.
    Trabalhei alguns anos com crianças todas portadoras de algum problema e acho que não ganhei tanto como ganhei este ano com o meu amigo Dinis, ali mesmo na minha sala e na sala daquelas 19 crianças de 1 º ano!
    Vou partilhar o blogue da mãe da Maria com a mãe Sara e o pai Pedro, pois acho que também eles poderão tirar muitos ensinamentos dos vossos testemunhos riquíssimos.
    Bem hajam por nos darem o direito a ter nas nossas salas os vossos filhos!

    • Responder Ana Rebelo Junho 30, 2015 em 00:13

      Olá Iris Pais, muito obrigada pela partilha que aqui faz sobre a sua experiência com o Dinis. Penso que os pais tem sempre a percepção do efeito positivo da inclusão que os filhos têm, seja para eles (incluídos) seja para todos os restantes (inclusores). Mas ler um testemunho assim dá a certeza , confiança e força para continuar neste caminho. Mais uma vez um enorme obrigada e vamos mantendo contacto. Um grande beijinho e até já

    Deixar Comentário

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.