14 frases de “O Principezinho” que só os adultos entendem

Novembro 23, 2016
FullSizeRender-194

Para mim “O Principezinho” não é um livro infantil, pois só o consegui perceber já adulta. Hoje, escolhi 14 frases que tenho a certeza que só os adultos podem entender:

1 – “Todas as pessoas grandes foram um dia crianças, mas poucas se lembram disso.”

É engraçado como, muitas vezes, não nos permitimos viver coisas boas – e aparentemente impossíveis – simplesmente porque “parecem coisas de criança” e  já “não são para a nossa idade”. Os adultos são apenas crianças que aumentaram de tamanho. Os sonhos, lá no fundo, permanecem mágicos!

2 – “Quando se anda sempre em frente, não se pode ir muito longe.”

As nossas maiores conquistas são alcançadas quando exploramos todas as direções além das que nos colocam na nossa zona de conforto.

3 – “Elas [as pessoas grandes] adoram os números. Quando lhes falamos de um novo amigo, as pessoas grandes jamais se interessam por saber como ele realmente é. […] Mas perguntam: Qual é a idade? Quantos irmãos tem? Quanto pesa? Quanto ganha o pai? Somente assim é que elas julgam conhecê-lo.”

Vivemos numa sociedade em que as pessoas valorizam mais o “ter” do que o “ser”. Números atraem, mas sozinhos não dizem nada, nem mesmo nas expressões matemáticas.

4 – “Nem toda a gente tem um amigo.”

Um amigo é algo valioso, que só se consegue por mérito, paciência, gentileza e respeito. Amigo é quem tem a nobreza de aceitar o outro do maneira que ele é. Há quem tenha a sorte de ter vários! Há quem, no entanto, desconheça a existência de algum…

5 – “É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas”

Certamente não se lembra, mas para ficar de pé nos seus sapatos precisou de gatinhar, segurar-se às paredes, ensaiar passos – muitas vezes frustrados – para, finalmente, caminhar pela casa. É preciso sair e enfrentar os medos, as angústias, as quedas. Eles fazem parte da vida e da paisagem linda que ela nos dá quando composta pelas borboletas.

6 – “Ele não sabia que, para os reis, o mundo é muito mais simples. Todos os homens são súbditos.”

O cenário está longe de ser exclusivo de uma monarquia. No entanto, para quem tem – ou almeja – o poder nas mãos, o resto é subserviência. Na verdade, os “reis” precisam bem mais dos seus “súbditos” que os “súbditos” deles…

7 – “É preciso exigir de cada um, o que cada um pode dar.”

Não exija dos outros o que eles não têm capacidade para fazer.

8 – “O essencial é invisível aos olhos, e só se vê bem com o coração.”

O melhor de um amor, de uma viagem, de um encontro ou de um presente não é o que transmite aos outros, mas o quanto nos toca o coração.

9 – “É bem mais difícil julgar-se a si mesmo que julgar os outros.”

Muitos sabem que olhar para dentro dói e, se é para magoar alguém, é melhor que seja o outro…

10 – “Só conhecemos bem as coisas que cativámos.”

Esta frase define o que sentimos no decorrer da construção de uma relação, seja ela de que tipo for. No começo, o outro parece longe, nem se sente a sua falta. Depois, é como se tudo ficasse mais próximo e a pessoa se fizesse necessária na nossa vida. Aí pensamos: “Mas eu nunca imaginei. Era algo tão distante…” Era, mas criou laços, cativou! 🙂

11 – “É bom ter um amigo, mesmo que um dia vá morrer.”

Porque amigos verdadeiros nunca, nunca morrem! ♥

12 – “Os homens embarcam nos comboios, mas já não sabem mais o que procuram.”

O imediatismo social no qual vivemos proporciona-nos viagens que, muitas vezes, nem desejamos fazer.

13 – “Corremos o risco de chorar um pouco quando nos deixamos cativar.”

Um pouco? Nós choramos é muito! Pelas conquistas, pelas derrotas, pela saudade, pelos abraços que consolam, pelas palavras que incentivam… E, claro, pela confiança quebrada. Criar laços é iluminar os olhos, nos dois sentidos.

14 – “E nenhuma pessoa grande jamais entenderá que isto possa ter tanta importância!”

Fonte O Segredo | Adaptação do texto “14 Frases do Pequeno Príncipe”

Também Poderá Gostar

2 Comentários

  • Responder Maria José Mota Campos Novembro 16, 2017 em 21:09

    Obrigada pela lembrança das frases do livro “0 Princepezinho”.
    São reais. Amei voltar a recordar.
    Todos devíamos escrever, mesmo sem o sabermos fazer bem, como forma de aceitarmos a vida. Leva o seu tempo a ser capaz mas, não é impossivel.
    Por exemplo: Escrevermos a nós próprios e de nós próprios como sendo alguém que não conhecemos, apontando os erros e as virtudes, lembrando e reconhecendo as passagens de vida que já se nos depararam e fomos sempre capazes de as ultrapassar. É fantástico.
    Escrever é um bom exercício para vivermos bem connosco e com os outros .

    • Responder Ana Rebelo Novembro 20, 2017 em 22:58

      Olá Maria José, é mesmo. Escrever é um exercício fantástico para vivermos bem com todos. Um grande beijinho

    Deixar Comentário